CULTURA E EDUCAÇÃO

Afroeducação
Afroeducação
Afroeducação

Eventos

A AfroeducAÇÃO promove diferentes eventos culturais, a fim de garantir a visibilidade da cultura negra brasileira, por meio de debates, seminários, rodas de conversa, saraus literários, festivais e cineclubes.

 

                         

 

O cineclube "AfroeducAÇÃO no Cinema" teve início na cidade de São Paulo, em 2011, em parceria com o Clube do Professor e o Espaço Itaú de Cinema. Motivado pela necessidade de conhecer e valorizar a cultura e a identidade negras, por meio do cinema negro brasileiro, após a exibição das películas, sempre acontecem debates entre o público presente e os(as) diretores(as) dos filmes.

Neste processo de troca de experiências e de conhecimentos, os(as) participantes dos debates são despertados(as) para a possibilidade de compreender as produções exibidas como recursos pedagógicos, o que colabora na aplicação da Lei Federal 10.639/03.

Cerca de 50 filmes já foram exibidos nesta sessão, sendo 90% deles dirigidos por cineastas negros(as), ilustrando a importância dada pelo projeto ao protagonismo negro brasileiro. Já somamos mais de 2 mil espectadores, em sua maioria educadores(as), o que corresponde a mais de 300 mil pessoas potencialmente beneficiadas, entre crianças, adolescentes, jovens e adultos.

SESSÃO AFROEDUCAÇÃO NO CINEMA

11077851_869671146409266_2657323896660728628_n
12419143_1069402166436162_2854692644246708468_o
13227638_1098821176827594_7581078204020762875_o
12186234_977115802331466_8524963019644353406_o
12182461_977114912331555_6578902342522492803_o
10393570_809054689137579_3061505548547646999_n
11062548_914600481916332_2352246644094764646_n
10307204_746415398734842_1918616992552537592_n

Formação

Afroeducação
Afroeducação
Afroeducação

Publicações

Acreditamos que, por meio de nossas publicações, podemos valorizar as diferentes manifestações da equidade racial no Brasil.

 

Em 2011, Paola Prandini, fundadora da AfroeducAÇÃO, lançou a biografia "Cruz e Sousa", que retrata a trajetória deste importante escritor brasileiro, como parte da Coleção Retratos do Brasil Negro, impresso pela Selo Negro Edições.

Já em 2014, publicou pela Editora Vozes, uma co-tradução em parceria com Vinícius Puttini, com base na obra de Marc Lamont Hill, intitulada "Batidas, rimas e vida escolar", que busca articular uma proposta de pedagogia crítica inspirada na cultura hip-hop.

Em 2018, Paola Prandini publicou, pela Letramento, o livro "A cor na voz: Identidade Étnico-Racial, Educomunicação e Histórias de Vida", como resultado de sua dissertação de mestrado, defendida na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP).

Livro Carolinas

Como forma de homenagear a escritora negra Carolina Maria de Jesus, em 2014, a AfroeducAÇÃO lançou a publicação “Carolinas”, um livro que retrata mulheres negras, que atuam como catadoras de papel na cidade de São Paulo.

Como base para o livro, o fotógrafo, coautor da publicação, Diego Balbino, assina, desde 2011, uma exposição fotográfica com algumas das imagens do livro, que já esteve em espaços como o Memorial da América Latina e diversos centros culturais e educativos do país.

As imagens são resultado de suas incursões pelas ruas da capital paulistana e em visitas a cooperativas de reciclagem de lixo integradas por mulheres, como a Coopamare.

Acompanhando o ensaio fotográfico, o livro também traz histórias de vida das personagens retratadas, por meio dos quais podemos conhecer suas trajetórias.

393374_202616439818791_385998975_n
644397_832651603444554_6554451430917778792_n
10931250_832650713444643_213404502379669959_n
10846236_786089278138168_8111758972014368996_n
378012_202613959819039_676957935_n
10882317_832651753444539_311907905634000467_n
10845959_786087658138330_7188694871621423250_n
375477_202614736485628_2024177468_n
Afroeducação
Afroeducação
Afroeducação

Formação

As formações realizadas pela equipe da AfroeducAÇÃO têm como proposta apresentar às/aos participantes possibilidades de dinâmicas e de conceitos teóricos sobre a abordagem de conteúdos relacionados à equidade racial no Brasil, a fim de colaborar para a aplicação da Lei Federal 10.639/03, por meio de práticas educomunicativas que permitem um maior engajamento e participação de crianças, adolescentes, jovens e adultos nos processos de construção coletiva de conhecimentos.

São espaços de participação e de troca, que estabelecem uma intensa reflexão, com momentos para dinâmicas e debates em torno de conceitos-chave sobre equidade racial, bem como acerca da representatividade e do protagonismo negros, tendo diferentes linguagens como parte do processo, tais como: fotografia, cinema, teatro, música, jogos e brincadeiras, entre outras.

 

Clique e saiba mais sobre formações em parceria com o Instituto Ella Criações Educativas!

Imagem 075
formacao
988538_894497043926676_2694021255520857443_n
526377_484755208256336_313936546_n
1495446_687753701267679_8937301437678723981_n
10155958_687779181265131_2969498506871138288_n
11760143_927298807313166_1491489921027113298_n
11745570_927298740646506_1636638890894884984_n