CULTURA E EDUCAÇÃO

Eventos

A AfroeducAÇÃO promove diferentes eventos culturais, a fim de garantir a visibilidade da cultura negra brasileira, por meio de debates, seminários, rodas de conversa, saraus literários, festivais e cineclubes.

 

                         

 

O cineclube "AfroeducAÇÃO no Cinema" teve início na cidade de São Paulo, em 2011, em parceria com o Clube do Professor e o Espaço Itaú de Cinema. Motivado pela necessidade de conhecer e valorizar a cultura e a identidade negras, por meio do cinema negro brasileiro, após a exibição das películas, sempre acontecem debates entre o público presente e os(as) diretores(as) dos filmes.

Neste processo de troca de experiências e de conhecimentos, os(as) participantes dos debates são despertados(as) para a possibilidade de compreender as produções exibidas como recursos pedagógicos, o que colabora na aplicação da Lei Federal 10.639/03.

Cerca de 50 filmes já foram exibidos nesta sessão, sendo 90% deles dirigidos por cineastas negros(as), ilustrando a importância dada pelo projeto ao protagonismo negro brasileiro. Já somamos mais de 2 mil espectadores, em sua maioria educadores(as), o que corresponde a mais de 300 mil pessoas potencialmente beneficiadas, entre crianças, adolescentes, jovens e adultos.

SESSÃO AFROEDUCAÇÃO NO CINEMA

Formação

Publicações

Acreditamos que, por meio de nossas publicações, podemos valorizar as diferentes manifestações da equidade racial no Brasil.

 

Em 2011, Paola Prandini, fundadora da AfroeducAÇÃO, lançou a biografia "Cruz e Sousa", que retrata a trajetória deste importante escritor brasileiro, como parte da Coleção Retratos do Brasil Negro, impresso pela Selo Negro Edições.

Já em 2014, publicou pela Editora Vozes, uma co-tradução em parceria com Vinícius Puttini, com base na obra de Marc Lamont Hill, intitulada "Batidas, rimas e vida escolar", que busca articular uma proposta de pedagogia crítica inspirada na cultura hip-hop.

Em 2018, Paola Prandini publicou, pela Letramento, o livro "A cor na voz: Identidade Étnico-Racial, Educomunicação e Histórias de Vida", como resultado de sua dissertação de mestrado, defendida na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP).

Livro Carolinas

Como forma de homenagear a escritora negra Carolina Maria de Jesus, em 2014, a AfroeducAÇÃO lançou a publicação “Carolinas”, um livro que retrata mulheres negras, que atuam como catadoras de papel na cidade de São Paulo.

Como base para o livro, o fotógrafo, coautor da publicação, Diego Balbino, assina, desde 2011, uma exposição fotográfica com algumas das imagens do livro, que já esteve em espaços como o Memorial da América Latina e diversos centros culturais e educativos do país.

As imagens são resultado de suas incursões pelas ruas da capital paulistana e em visitas a cooperativas de reciclagem de lixo integradas por mulheres, como a Coopamare.

Acompanhando o ensaio fotográfico, o livro também traz histórias de vida das personagens retratadas, por meio dos quais podemos conhecer suas trajetórias.

Formação

As formações realizadas pela equipe da AfroeducAÇÃO têm como proposta apresentar às/aos participantes possibilidades de dinâmicas e de conceitos teóricos sobre a abordagem de conteúdos relacionados à equidade racial no Brasil, a fim de colaborar para a aplicação da Lei Federal 10.639/03, por meio de práticas educomunicativas que permitem um maior engajamento e participação de crianças, adolescentes, jovens e adultos nos processos de construção coletiva de conhecimentos.

São espaços de participação e de troca, que estabelecem uma intensa reflexão, com momentos para dinâmicas e debates em torno de conceitos-chave sobre equidade racial, bem como acerca da representatividade e do protagonismo negros, tendo diferentes linguagens como parte do processo, tais como: fotografia, cinema, teatro, música, jogos e brincadeiras, entre outras.

 

Clique e saiba mais sobre formações em parceria com o Instituto Ella Criações Educativas!